Resenha: A Morte é Legal, Jim Anotsu

Andrew é um garoto de 19 anos que mora em Dresbel e que quer ser escritor, mas não sabe muito bem por onde começar. Andrew é apaixonado por Briony, sua melhor amiga, mas não consegue se declarar. Sua chance para mudar essa situação vem na forma de Ive, a garota de cabelos verdes, filha mais nova da Morte, e sua aventura pessoal para alcançar o que deseja.

Essa não vai ser uma resenha de prós e contras porque esse livro foi pra minha lista de favoritos. Quer dizer, eu tenho um contra apenas, que é a falta de revisão, mas a história é incrível.

Pra começar, o prefácio. Quem o escreve é o Jacques Barcia, que avisa que esse livro é como um coelho branco: nunca é o que realmente aparenta. À primeira vista, você pode pensar que é apenas a história de um garoto apaixonado pela melhor amiga. Ou a história de uma aventura para encontrar algo que satisfaça algum desejo. Ou ainda a história de dois irmãos, órfãos de mãe, que buscam algo mais em suas vidas. E a história é tudo isso, de certa forma. Mas também é muito mais. Escondido nas entrelinhas, entre as diversas referências culturais e se desdobrando a cada virada de página, você encontra um mundo, vários mundos, e todos eles fazem a história ser o que é. E fazem os personagens serem o que são. E conta tudo isso numa narrativa fluida, divertida, poética e bem trabalhada.

O que eu mais gostei nesse livro foi a diversidade e os desdobramentos. O Andrew quer ser escritor, é apaixonado pela melhor amiga, tem interesses diferentes, embarca numa aventura com a filha mais nova da morte, encontra várias e várias criaturas sobrenaturais — cada uma melhor do que a outra, tantas personalidades! –, corre riscos e muda seus conceitos. Todos os personagens que ele encontra em seu caminho é incrível e muda algo no Andrew. E ainda tem as partes da Amber, irmã do Andrew, que quer ser rapper, tem um melhor amigo que é seu companheiro rumo ao estrelato, e ela já tem todo o caminho resolvido e vai lutando pelo seus desejos com unhas e dentes. Algumas coisas são mais difíceis do que ela previa, mas só servem pra que ela se fixe mais no que deseja. É interessante notar essas diferenças entre os dois irmãos: no começo, um tá meio perdido, sendo levado pela vida, e o outro já sabe o que quer e só caminha praquilo; e no final, ambos estão mais fortes, mais centrados, mais certos de si mesmos. O Andrew pode ser um pouco difícil no começo por causa do seu jeito emo/loser, mas é a personalidade dele, que vai sendo moldada pelo resto do livro.

Esse livro começa com o maior dos clichês mas se desenvolve de tal maneira que deixa você fissurado. Você precisa saber o que vai acontecer. Precisa saber como vai terminar. Precisa saber todos os motivos e todas as consequências. É uma aventura e tanto. Se você gosta de descobrir novos mundos e viajar entre situações sobrenaturais, esse é o livro pra você. E, enquanto você viaja, você também reflete sobre as consequências de todos os atos, de todas as decisões, de todas as ações que, por um lado parecem egoístas (e talvez até sejam realmente), mas que você acaba achando um porquê mais pra frente.

Então, leiam esse segundo livro do Jim, leiam também o primeiro, Annabel & Sarah, e se preparem pro terceiro livro dele, que vai sair esse ano, na Bienal do Livro de São Paulo, pela Editora Gutenberg!

Livro: A Morte é Legal
Autor: Jim Anotsu
Lançamento: 2012
Editora: Draco
Links: Skoob | Goodreads
Classificação: mpcmpcmpcmpcmpc
No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge