Resenha: The Virgin Suicides, Jeffrey Eugenides

Não sei se eu chamaria esse texto de resenha. É mais um texto explicando a minha frustração com esse livro. Não sei se fui eu que não entendi o que ele quis passar ou se ele é assim mesmo, mas enfim.

Esse livro é sobre cinco irmãs. Cinco irmãs que se suicidam (tá no título, vocês já sabiam). Mas a história não é contada por elas, não é contada por alguém da família delas, não é contada por um narrador onipresente. Ela é contada sob a perspectiva de várias pessoas que não são identificadas durante a narrativa. Acho que eu só fui perceber que eram várias pessoas perto da página 100. Esse é o primeiro mistério: quem conta a história. Tudo nos leva a crer que os narradores são os garotos que estudavam na mesma escola que as meninas, num futuro distante. O que aparenta é que o que é contado não é realmente realidade, parece tudo fruto da imaginação fértil de garotos que tinham muita curiosidade sobre a vida das meninas e muita vontade de participar da vida delas. Nada parece certo, real e que dê alguma razão aos acontecimentos.

Entendo o porquê desse livro ter virado um clássico e de ser bastante aclamado; a narrativa do Eugenides é concisa, num ritmo lento e com uma atmosfera pesada e angustiante. Esse padrão segue por todo o livro e a leitura se torna mais intensa a cada página. Mas pra mim ele também é um livro muito frustrante. Essa visão totalmente de fora da situação e das personagens é incrivelmente tortuosa. O que, de toda essa história, é verdade, é esquecimento, é uma lembrança embaçada pelo tempo, é o subjetivismo do narrador, é o que ele achava que sentia naquela época? O que todas as garotas queriam? O que elas tiveram? O que faltou a elas? Eu não queria todas as respostas, mas eu com certeza queria entrar na cabeça de qualquer uma delas (de todas) pra poder pensar e avaliar com mais clareza.

Livro: As Virgens Suicidas
Autor: Jeffrey Eugenides
Lançamento: 2013 (desta edição)
Editora: Companhia das Letras
Tradutor: Daniel Pellizzari
Links: Skoob | Goodreads
Classificação: 
No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

1 Comentário em Resenha: The Virgin Suicides, Jeffrey Eugenides

  1. Oi Mari,
    Eu amei esse livro apesar de ser bem tenso. Tempos depois assisti o filme e gostei muito também.
    Concordo com o que você disse na resenha quanto ao livro ser pesado e angustiante, realmente não é uma leitura fácil. Mas, foi aí que a narrativa do autor me conquistou, pela diferença, pelo novo mesmo sendo tão trágico.
    Pena saber que você não gostou tanto assim do livro. De qualquer maneira, amei saber o que você achou!
    Beijos

    [Responder]

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge