Filme: A Culpa é das Estrelas

Assisti A Culpa é das Estrelas ontem, na pré-estreia, e voltei pra casa com olhos vermelhos e inchados. Mas isso vocês já devem imaginar, né? Quem leu o livro, talvez até quem só ouviu falar dele, sabe que a história do John Green é linda e emocionante. É o que se imagina e até se espera de uma história sobre uma garota com câncer. Mas a história de Hazel Grace não é apenas a história de uma garota com câncer. É uma história de amor e luta de duas pessoas que, por acaso, têm uma doença chamada câncer.

Os motivos pra eu amar esse livro do John Green são três. Um: amo o fato da Hazel e do Gus tentarem ser algo mais do que suas doenças. Eu não posso nem começar a imaginar como é viver sendo uma granada, como a própria Hazel diz, mas acho incrível o fato deles encontrarem outro foco pra suas vidas. Mais uma vez citando a Hazel, é uma questão de saber contar uma história triste. Dois: amo o Gus, principalmente. Amei a atuação do Ansel por ser tão fiel ao sentimento que o Gus do livro me passou. Todos os olhares e os sorrisos de canto de boca e todas as declarações foram emocionantemente interpretados. Três: amo o fato da Hazel gostar tanto de “An Imperial Affliction“. E isso ser uma parte tão importante da história dela com o Gus.

Dito isso, achei que o filme satisfez bastante meu coração cheio de amor ao livro. Achei que teve mais adições do que cortes, e eu gostei muito disso. Algumas coisas perto do final não foram adições tão legais assim, mas acho que foi feito desse jeito pra ficar mais emocionante — MAIS do que já é, claro. A dor do final é inimaginável.

A pré-estreia começou pouco depois das 21h30 e terminou quase 00h. Já tinha muita gente na fila quando ainda faltava meia hora pra começar, e acredito que a sala lotou, ou quase isso. Duas pessoas muito sortudas ganharam uma ecobag maravilhosa, azul, escrito “ok? ok.” (morri de inveja). E quando a sessão acabou tinha ainda mais gente na fila esperando a primeira sessão oficial, que começaria logo após a pré. Antes de entrarmos na sala tivemos que entregar nossos celulares pra não haver perigo de fotos e gravações durante o filme (o que me deu vontade de discutir, já que logo depois da nossa sessão iria ter outra, mas entendi por ser uma sessão anterior ao lançamento internacional).

Na minha opinião, foi um filme de nota 8. Acredito que é um ótimo filme tanto pra quem leu quanto pra quem não leu. E com certeza quem não leu vai querer ler e vai dizer pra várias pessoas que todas elas devem ler o livro e ver o filme também! Sem falar que, antes do filme, os três trailers que passaram foram adaptações literárias — Se eu ficarGarota exemplarMaze Runner. Vibrei com os três (chorarei imensamente em Se eu ficar) e adorei pensar em quantos leitores novos os filmes trarão!

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

1 Comentário em Filme: A Culpa é das Estrelas

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge