Resenha: City of Glass | Cassandra Clare

Seguindo a pista de uma amiga de sua mãe, Clary decide ir para Alicante, a Cidade de Vidro, lar dos Caçadores das Sombras. É arriscado, é ilegal e ela não sabe exatamente o que fazer, mas a pista a leva para lá e ela fará tudo para salvar sua mãe. Alicante tem uma beleza e uma sombriedade que Clary não sabe bem como lidar… e vai ter que enfrentar verdades, mentiras e perigos para descobrir.

Confesso que essa série me dá nos nervos e me intriga ao mesmo tempo. Todos os livros até agora foram 4 estrelas pendendo pra 3.5, não por causa da história em si, mas por causa da Clary. E nesse livro ela superou toda a chatice dela dos livros anteriores, e eu finalmente entendi que realmente não gosto dela.

Esse foi o melhor livro da série pra mim. Os dois outros livros giram em torno de segredos que são descobertos nesse livro, e eu prefiro situações claras. Além disso, o cenário da história é bem melhor: Alicante parece ser uma cidade linda. Os personagens também são melhores nesse livro (menos a Clary, mas isso é pessoal), apesar de alguns quase não aparecerem. Vários deles me surpreenderam durante a leitura (Bane s2), e eu adorei as partes que contam a história antes da história (tudo parecia muito vago antes).

O ritmo é acelerado e tenso durante todo o livro, com várias passagens de tirar o fôlego, mesmo quando não é uma cena tão movimentada. Esse é um dos melhores aspectos nesse livro: a maioria das cenas respondem as perguntas deixadas nesse e nos outros livros, segredos são expostos, sempre em situações tensas. A própria Clary é uma pilha de nervos. Pensando assim, até consigo simpatizar um pouco com ela (só que não).

Quanto ao projeto gráfico da Galera Record, eu sinceramente ainda tento entender o que eles estão tentando fazer com as capas dessa série. A primeira foi com um pouco de brilho em alguns pontos e poucos detalhes furta-cor. O segundo livro veio com a capa fosca e vários detalhes furta-cor. E esse terceiro veio totalmente brilhoso e cheio de detalhes furta-cor. Estão realmente testando os efeitos do brilho. A diagramação continua simples e bonita, e a revisão não tá perfeita, mas tá muito boa (Galera Record WINS nesse ponto).

Continuarei acompanhando a série, mas, agora que realmente sei que odeio a Clary, espero a outra série da Cassandra Clare mais ansiosamente.

Livro: Cidade de Vidro

Série: Os Intrumentos Mortais #3 | #2 | #1

Autora: Cassandra Clare

Lançamento: 2011

Editora: Galera Record

Links:Skoob

Compre:Cultura | Saraiva | Submarino

Classificação:

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

6 Comentários em Resenha: City of Glass | Cassandra Clare

  1. Tenho só o primeiro dessa série, e quando comecei a ler, detestei. Não consegui passar das cento e poucas páginas. Não entendo esse fascínio que meio mundo tem com a série. Mas nem acho que o fator que me levou a não gostar tenha sido a Clary. Começou pelo livro ser em 3ª pessoa. É MUITO difícil eu gostar (e me envolver) com livro com narrador observador. Gosto de ver as coisas pelo ponto de vista de um dos personagens, e a partir daí imaginas o ponto de vista dos outros.
    Mas enfim, vou esperar pela próxima série da Cassandra. Já vi gente falando que The Infernal Devices é melhor que Instrumentos Mortais, e vou dar uma chance.

    Tbm prefiro muito mais situações claras do que ter que ler um livro todo no qual os personagens só ficam correndo atrás de saber do que estão atrás e coisas assim.

    Mas eu gostei dos brilhos na capa. HUASHUAHUSHUASHU
    Bj!

    [Responder]

  2. Já li os dois primeiros livros dessa série e pretendo ler “Cidade de Vidro” em breve, fico feliz em saber que nesse livro terei algumas respostas sobre tudo o que não ficou claro nos livros anteriores.
    Não sou a maior fã da Clary, mas definitivamente gosto dela, pelo menos até agora, não sei se minha opinião sobre ela vai mudar quando terminar de ler o terceiro livro da série.
    Gosto muito da escrita da Cassandra Clare, isso foi algo que me fez gostar muito da série. Também gosto muito dos personagens que ela criou, principalmente o Jace e o Luke.
    A série “Os Instrumentos Mortais” é uma das minhas séries favoritas e estou ansiosa para ler os próximos livros. Também quero muito ler a outra série da Cassandra.
    Sobre as capas, acho todas lindas, mas a Galera Record realmente as fez de maneira diferente, ficou mesmo parecendo que eles estavam fazendo testes de brilho.
    O ruim é que as lombadas dos livros não combinam tanto quando estão juntos na estante.
    Enfim, gostei bastante da sua resenha e agora estou ainda mais ansiosa para ler “Cidade de Vidro” e encontrar algumas respostas! 😀

    [Responder]

  3. EU tenho e já li o primeiro livro da serie e ler um livro em 3ª pessoa, sim, foi complicado acompanhar o ritmo, mas é bom para você tirar suas próprias opiniões.Eu não odeio e nem gosto da Clary, porque alias, não é questão de gostar ou não, é questão dela ser BURRA e fazer o que quiser sem a opinião de outros. Jace podia explicar milhares de vezes a mesma coisa que ela continuaria sem saber e não aceitaria a verdade. O livro é complicado, porque alem de ser em 3ª pessoa, tudo ocorrer muito rapido para 246 paginas e o livro fica muito vago, quero dizer é vago, e tem que ter uma baita paciencia para entender cada paragrafo. É um livro bom, mas leitores… Tenham paciencia. 😀
    Paulo Henrique recently posted..montando… contruçao

    [Responder]

  4. Ai, eu também ODEIO a Clary! Burrice tem limite, nossa senhora. Ela consegue ser insuportável às vezes.
    Eu peguei um abuso tremendo dela, cê nem imagina…Na verdade, até Jace está pretes a entrar na minha Hate List. E olha que eu era doida varrida por ele, mas sei lá, ele perdeu aquela aura divertida dele de City of Bones, pra se tornar um cara cheio de dor blábláblá. Li City of Fallen Angels e só tenho a dizer que essa característica do Jace só tem a piorar. E eu cansei, simplesmente CANSEI, das juras de amor dele e de Clary. Essa coisa de “eu te amo” muitas vezes enche meu saco.

    Mas acompanhe a série sim, pois acredite ou não, CoFA foi ótimo, graças ao Simon. Porque se dependesse do casal maravilha, ia ser uma droga.

    beijos

    [Responder]

  5. Eu ainda não li nem Cidade dos Ossos (#shameonme), mas estou muito curiosa! Todo mundo que lê esse livro – o do Vidro – fica empolgado com as outras séries e acaba ME deixando empolgada! hahahaha Eu lembro que, assim que saiu o primeiro, eu fiquei bem curiosa com a história, mas não era lá uma graaaande curiosidade. Até que um dia eu encontro com uma amiga minha da escola e ela me fala que gostou muuito desse livro e que não acreditava que eu ainda não tinha lido. E ela tem bom gosto. Então vou acabar lendo, de qualquer forma.

    Eu acho o trabalho com as capas muito bonito, mas acredita que nunca tinha reparado nessas diferenças de uma capa pra outra? oO’ Com certeza vou procurar!

    Adorei a resenha!
    Beeijo! ;3

    [Responder]

    Paulo Henrique

    As capas você só nota a diferença na hora de comprar, que eu vou falar a verdade, é muito legal… Vale a pena.
    Paulo Henrique recently posted..montando… contruçao

    [Responder]

  6. Eu até que acho o Jace legal, Mas apesar de tudo eu prefiro o Simon, porque de toda a hisotria ele é o unico Mundano principal. Sim, todos tem seus motivos para ODIAR a Clary, eu tenho um pouco de raiva com ela, por causa da sua burrice e suas birras que é demais. Ja acabei de ler o City of Bones, e o Jace fica chato só com a assunto de Matar Demonios, Thais, concordo com você, do jeito que a historia ta andando, Jace so vai piorar.
    Paulo Henrique recently posted..montando… contruçao

    [Responder]

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge