Footloose | Rudy Josephs

Por causa de um terrível acidente, a cidade Bomont agora tem uma série de regras para impedir novos desastres. Ren é um adolescente que acaba de se mudar de Boston para Bomont por causa de seus próprios desastres. Sua única opção é se acostumar à vida na cidade pacata e sem diversão que é Bomont… a não ser que ele vá contra todas as regras impostas.

Footloose é um filme nos anos 80 que foi relançado em 2011, e esse livro foi baseado no roteiro do filme. Notei isso com frequencia durante a leitura: dá pra imaginar bem as cenas, e, como eu gosto muito de musicais, acho que o filme deve ser muito bom. Tem também aquele ‘clima’ de filme, que os cortes das cenas são bem sutis, a história é bem fluida.

Além disso, a história traz uma mensagem muito bonita de luta pelo que se deseja, com bons valores e trabalho árduo. E também um sentimento de luto constante, mesmo que a história seja leve. O Ren é um personagem muito legal, com toda a sua vontade de mudar a cidade e por tudo o que ele passou. Previsivelmente, ele acaba se apaixonando pela filha do reverendo da cidade, o mesmo homem que criou as regras que ele tanto quer acabar. A Ariel, ao contrário do Ren, é uma personagem que não me cativou em nada. Ela é o tipo de personagem que eu odeio – aquela que se torna hipócrita e tem atitudes “rebeldes” só pra se afastar de todos, julgando todos, inclusive si mesma, de uma forma errada.

Pra mim, o livro foi uma leitura leve e boa, mas somente isso. Não me despertou nada de mais, e algumas vezes até achei um pouco forçado. Acho que o filme é melhor não no aspecto da história, mas no aspecto musical. O estilo e as músicas parecem ser ótimos.

Livro: Footloose

Autor: Rudy Josephs

Lançamento: 2011

Editora: Galera Record

Links:Skoob | Trailer do Filme

Compre:Cultura | Saraiva | Submarino

Classificação:

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

8 Comentários em Footloose | Rudy Josephs

  1. Sou apaixonada por filmes desse tipo, mas nunca imaginei que um filme assim pudesse se transformar numa história para um livro. É o mesmo que acontece com Ela Dança, Eu Danço (adoro os filmes, mas não imagino em livro).
    Acho que vou passar a leitura – por ser apenas boa e só – e partir pro filme mesmo.
    Beijão
    Babi Lorentz recently posted..O Que Você Está Lendo? #1

    [Responder]

  2. Nunca assisti o filme dos anos 80. Acho que Dirty Dance foi minha cota desse gênero daquela época. ahahah
    Eu tava SUUUUUPER animada pra assistir essa versão, ao cinema no fds de estreia, mas aí a distribuidora resolveu adiar a estreia. ¬¬
    Por outro lado, não tenho vontade de ler o livro não. Acho que essa característica “forçada” que vc falou, deve ser pelo fato de ver um roteiro que foi transformado em livro. Acho que por ter sido nessa ordem, devem faltar muitos detalhes, o que acaba deixando de encantar a gente em alguns (vários!) momentos.
    Mas eu AMO essa capa! haahah Daqueles livros que dá vontade de ter só pra “coleção” ficar mais bonita. ahahha
    Bj!

    [Responder]

  3. Nada como um filme com danças pra me deixar animada a fazer todos os tipos de exercício no mundo. Eu fico babando com a facilidade que os atores parecem encarar as coreografias (leia-se Ela Dança, Eu Danço), ainda que depois de muito ensaio para as gravações saíssem perfeitas. Mas dá uma depressão saber que eu não chego nem aos pés desse pessoal. Dançar é legal, mas depois que a gente vê um filme, eu fico pensando se o que eu faço é realmente dançar… hahahaha
    Mas enfim, eu estou muito curiosa por esse livro, não só por causa da nova versão do filme, mas porque acho que nunca li nenhum livro baseado em um roteiro. Li algumas resenhas que diziam que o livro não era detalhado, até por ser baseado em um roteiro, mas o que me faz pensar sobre o quão urgente ele está na minha lista é o fato de ninguém ter gostado da Ariel. Estou vendo que, pelo o que você falou dela, é bem provável que eu acabe passando raiva com ela. =D

    Adorei a resenha! E essa capa é muito linda, né? Só não acho o ator muito bonito! =P
    Beeijo! ;3

    [Responder]

  4. Oi Mari, tudo bom??
    Gostei bastante do seu comentário no meu post! ^^ Então, eu leio mais em português, mas às vezes leio em francês, em inglês e em espanhol. Só que prefiro bem mais ler em português ou em espanhol pq nestes idiomas sinto que consigo captar todo o aspecto literário/poético da coisa. Eu gosto de ler prestando atenção em como o autor escreve, como o texto é formado, e não apenas entender a história.
    P/ comprar livros é mais complicado, peço p/ minha mãe e ela me envia pelo correio, junto com os livros que ganho em promo, ou que recebo de editora/autor.
    Sobre os livros YA, aqui sempre tem várias opções e variedades, mas não sei se é porque a cidade é pequena ou se na França como um todo é assim, mas não há essa coisa de eventos promovidos por editoras, ou então uma comunicação mt elaborada para falar de algum lançamento. A coisa por aqui é mais tranquila. Tem alguns eventos literários organizados pela prefeitura ou editoras pequenas, tipo festa do livro (como se fosse mini-Bienais) em cidades próximas e bem pequenas.
    Comentando seu post: amo o primeiro filme Footloose. Já vi trailer da refilmagem mas honestamente não sei se me agradaria. Já o livro, mooooorro de vontade de ler! Inclusive eu fiquei sabem da existência dele há pouco tempo, e fiquei super animada!
    Bjão!!!!
    Aline T.K.M. recently posted..5 motivos para ler Clarice Lispector

    [Responder]

  5. Já tinha lido algumas resenhas do livro Footloose e até tinha me interessado pelo livro, mas acho que prefiro assistir o filme primeiro.
    Não vi a versão antiga do filme (pelo menos não me lembro de ter visto), mas quero assistir esse novo filme, acho que como a dança e a música estão muito presentes na história é provável que fique melhor em filme do que em livro.
    Também acho que não vou gostar da Ariel, já que também odeio o tipo de personagem que você disse que ela é, esse tipo de personagem costuma me irritar muito durante a leitura, fazendo até que eu goste menos do livro.
    Já o Ren parece ser um ótimo personagem pois, mesmo tendo passado por momentos difíceis, procura ajudar as pessoas da cidade em vez de se tornar um “rebelde” que odeia tudo e todos ao seu redor.
    Enfim, esse é um livro que vou ler se tiver oportunidade, mas sem muitas expectativas.
    A capa ficou bem legal, gostei muito do jeito como o título foi escrito (todo brilhoso! =D).

    [Responder]

  6. Acho a capa desse livro muito bonita (é do filme, né? Até hoje não lembro de alguma capa de filme que eu não tenha gostado).
    Já sobre o livro, admito que não tenho muita vontade de ler, mas sim de assistir o filme, que ainda não vi (nem a versão antiga, não que eu me lembre).

    Bjs,

    [Responder]

  7. Tudo bem que dificilmente um filme supera o livro, mas considerando o fato que o filme é baseado em músicas…eu acho difícil conseguirmos imaginar isso apenas lendo o livro. Mas ainda assim eu acho que é válido conferir, porque a história é sempre bem mais detalhada.
    Dilson Gross recently posted..Balada Literária

    [Responder]

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge