Paixão por Mangás #10

Fruits Basket, da Natsuki Takaya. Esse mangá conta a história de Tohru Honda, uma garota que perdeu os pais muito cedo e, por isso, aprendeu a ser forte. Para não dar trabalho ao seu avô, ela decide morar sozinha… em uma barraca, no meio da floresta. Mas depois de um tufão, a barraca é destruída e ela é “salva” (ok, nada tão heroico assim… ele apenas oferece a ela um quarto de hóspedes na casa dele) por Yuki Sohma, considerado o Príncipe da sua escola… apesar de ele ser meio estranho. O que Tohru não sabe – e acaba descobrindo logo nos primeiros dias de sua estada na casa da família Sohma – ele mora com seu primo, Shigure – é que tanto Yuki, como Shigure, como outros integrantes da família Sohma são amaldiçoados: eles têm o espírito dos animais do Horóscopo Chinês dentro de si, e quando são abraçados por alguém do sexo oposto ou quando ficam fracos, eles se transformam nos respectivos animais.

Pra quem não conhece a lenda do horóscopo chinês: segundo a lenda, Deus daria uma festa e mandou convidar todos os animais, pedindo para que eles não se atrasassem. Assim que soube da festa, o Rato foi até o Gato e o enganou, dizendo que a festa seria outro dia. Com isso, no dia da festa todos os animais estavam presentes, exceto o Gato, que esperava ansioso o dia da festa. Com isso, o Gato ficou de fora do Horóscopo Chinês.

Sobre o título do mangá: Fruits Basket é o nome de uma brincadeira conhecida no Japão, onde cada participante leva o nome de uma fruta. Só que a Tohru, quando brincava na escola, sempre era o “bolinho de arroz” (onigiri), que, obviamente, não é uma fruta, por isso era meio esquecido.

Decidi começar a falar realmente sobre mangás e suas histórias com esse porque foi o primeiro mangá que eu li e é o meu favorito. A história é muito interessante, muito diferente. Acho que pra ler essa história e realmente gostar, você precisa entrar fundo nela. Uma coisa que é bem marcada nesse mangá (e é presente na grande maioria dos mangás, já que é um traço cultural japonês) é a inocência. A Tohru é uma – senão a mais – inocente personagem que eu já li sobre e muitas pessoas talvez não gostem tanto do mangá por causa desse aspecto, que é totalmente diferente da nossa cultura. Ela é inocente, ela é forte, ela é ingênua, e ela pode até ser idiota às vezes; mas, pra mim, esse é um dos pontos fortes do mangá. O amadurecimento dela – sem deixar de lado essa ingenuidade cativante – é incrível.

A Tohru vai, com o passar do tempo, conhecendo todos os integrantes da família Sohma e, pouco a pouco, começa a fazer parte dela também – apesar das diferenças, do medo, da insegurança, do incrível poder que o Patriarca da família (que a odeia) exerce. Cada personagem tem uma história cativante, emocionante e difícil. Cada personagem vê a Tohru de um modo diferente, mas que os leva a mesma coisa: ter mais força pra viver.

É, soa meio dramático. É dramático. Chorei litros logo no segundo volume – são 23. Mas também tem partes engraçadas, tem partes quase normais de uma vida colegial, as partes de romance são as mais lindas ever. Ok, o romance. Sabe quando eu disse que a Tohru é inocente? E que inocência é uma marca cultural forte japonesa? Então, é esse tipo de romance que existe no mangá. Mas sabe aquele romance que é construído aos poucos, com a convivência, com a ajuda mútua, com as pequenas coisas? Pra mim, é o mais lindo de todos.

O mangá foi publicado lá no Japão em cerca de sete anos e, ao longo do tempo, o traço evoluiu muito, assim como a história. Aqui o mangá começou a ser lançado pela JBC em 2005, creio, e acho que terminou em 2008. Foi feito também um anime, com 26 episódios, mas que retrata apenas até o sexto volume do mangá.

Espero que gostem e se interessem! Se quiserem participar com mais imagens (sem spoilers, hein!), deixem nos comentários! Adoraria ver, de quem já leu, uma parte que realmente gostou! \o/

Mangá: Fruits Basket

Volumes: 23

Autora: Natsuki Takaya

Editora: JBC

Preço: R$9,80

Links: Ler on-line em inglês | Site oficial

Compre: Comix | Banca 2000 | LigaHQ

 

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

20 Comentários em Paixão por Mangás #10

  1. Tenho alguns amigos que amam este mangá! parece realmente muito bom, mas no momento estou lendo X, Naruto e The lost canvas. Vou ver se encontro este! Beijos
    Monique Melo recently posted..RESENHA- Jogos Vorazes

    [Responder]

    Danny
    Twitter: Danny_Demarchi

    Monique, também estou lendo vários mangás atualmente, inclusive Naruto. Também pretendo ler Fruits Basket e The Lost Canvas (Você está gostando desse?), ainda não estou colecionando esse último porque ainda não terminei de ler Cavaleiros do Zodíaco.

    [Responder]

    Monique Melo
    Twitter: monique_melo

    Danny, tô amando The lost canvas! tem alguns coisas idênticas aos cavaleiros do zodíaco, mas acho mais bem resolvido e com menos enrolação. O anime é perfeito! Imagens ótimas!

    [Responder]

    Danny
    Twitter: Danny_Demarchi

    Monique, estou terminando Cavaleiros do Zodíaco e quero muito chegar a essa parte! Que bom que tem menos enrolação e que as imagens do anime são melhores! O ruim é que são personagens diferentes, né? =)

    [Responder]

    Monique Melo
    Twitter: monique_melo

    São personagens diferentes sim. Mas acho que é justamente isso que me animou! E ainda sabemos como era o mestre do Shiryu! =D

    [Responder]

  2. O interessante desse mangá é que no começo você pensa que já vai saber o “casalzinho final”, mas o tempo passa e as situações mudam tanto que você acaba mudando de opinião também.

    Pessoas como a Tohru não existem. Não com a idade que ela tem. Primeiro pela barraca…haha! Acho que a personagem dela é altruísta demais, ficou bem exagerado. Mas as outras personagens são sensacionais. Takaya soube como encaixar tantas personalidades diferentes em volta do bolinho de arroz, e acho que esse é o seu maior mérito – dificilmente ela vai conseguir se superar. Apesar de torcer para isso, claro.

    E sim, chorei muito com esse mangá. É um dos poucos que eu faço questão de ter em casa, e acho que vale a pena porque é MUITO engraçado e ao mesmo tempo é muito misterioso. Você fica querendo saber o “segredo”, os “porquês” e outras coisas…mas se diverte demais no caminho. Sensacional!

    Beijos! Ótima recomendação!

    Ps: acho difícil achar UM momento especial…a pilha de lixo do Prince Yuki logo no primeiro volume me conquistou. São tão organizada quanto ele! HAHA! “Que bagunça…deixa para lá, não vamos morrer por isso”, haha.

    [Responder]

  3. Sobre a história realmente é muito boa, algumas explicações são apressadas e tal, mas o legal na história é a interação entre os personagens.

    A edição nacional entretanto não é muito legal, quem tem sabe que já está amarelada, a colagem é uma droga e as páginas se soltam com facilidade, já a edição de imagens é um lixo, lixo, lixo total. Em compensação a JBC era relativamente boa na adaptação na época, não ficava colocando as barbaridades de hoje em dia como Pânico e Chaves…

    [Responder]

  4. Eu lembro que uma amiga minha lia esses 😀 As capas são tão lindiiiiinhas

    [Responder]

    Danny
    Twitter: Danny_Demarchi

    Também acho as capas muito lindas, principalmente por ser uma de cada cor, a coleção deve ficar linda na estante.

    [Responder]

  5. Mary esta série também é minha favorita! Sou apaixonada por Fruits Basket! Kyo ainda hoje é meu personagem favorito dos mangás! Além de ter me tornada uma fã do trabalho da Natsuki Takaya. Ela é a única que conseguiu me fazer rir e chorar compulsivamente! Agora estou acompanhando também dela “AS ESTRELAS CANTAM” e claro estou amando!
    Serena_Cabulosa recently posted..LANÇAMENTO- “CANTE PARA EU DORMIR” DA ANGELA MORRISON

    [Responder]

  6. Mari nossa adorei a temática desse manga, fiquei super curiosa pra ler, acho vou dar uma chance para os mangas … rss
    Bjs

    [Responder]

  7. Nunca li o mangá, mas já tentei ver o anime e não me empolguei ;\
    Mas você me fez ter vontade de ver o resto pelos elogios.. Quem sabe eu goste né?
    E o que você acha do anime se é que você já viu Mary? :)
    Bjs :*

    [Responder]

  8. Ahh, que ideia ótima essa, ainda mais em mangá! Apesar de eu xingar muitas vezes as personagens por não caírem na real e serem meio lerdas, você elogiou tanto a série que é impossível não acabar querendo ler… Acho que vou ler online mesmo! ;D
    E a foto que você pôs é muito fofa *_*, me deu mais vontade ainda!
    Bjs ;*
    Isa Pina ~ Portal dos Livros

    [Responder]

  9. Mary, que bom que você fez sua primeira resenha de mangá no blog! Estava esperando por isso desde que você começou a falar sobre mangás no Muito Pouco Crítica e posso dizer que você superou todas as minhas expectativas! Sua resenha ficou ótima! Parabéns!
    O único problema da resenha ter ficado ótima é que agora eu tenho mais uma coleção de mangás que terei que fazer, pois fiquei com muita vontade de ler Fruits Basket.
    Ainda não li esse mangá por que ele foi lançado em 2005, época em que eu não tinha a mínima ideia do que era um mangá. Tenho muita vontade de ler títulos antigos como o próprio Fruits Basket e Marmalade Boy, mas não tive condições de comprá-los ainda por que já estou colecionando muitos dos títulos que estão sendo lançados atualmente.
    Um exemplo é As Estrelas Cantam, que também é da Natsuki Takaya, estou gostando muito desse mangá, e por isso acredito que vou gostar de Fruits Basket também (achei muito legal toda essa história em torno do Horóscopo Chinês, só acho que o Gato deveria fazer parte de tudo isso! Ah, já estou acostumada com a inocência das personagens nos mangás e posso dizer que gosto disso), apesar de serem dois mangás de estilos bem diferentes.
    OBS: Achei muito legal você colocar o link de alguns sites que vendem mangás, isso vai ajudar muitos leitores que as vezes não sabem onde encontrar determinado mangá.
    OBS 2: Gostei tanto dessa resenha que já estou esperando pela próxima resenha de mangá que você fizer!

    [Responder]

  10. Nossa, Mari-chan, COMO COMENTAR SOBRE FRUITS BASKET???? :~~
    Também foi o primeiro mangá que eu li e o melhor de todos so far. É que nem Friends, pra mim: acho que nunca vou encontrar algo melhor. <3
    Vc ri, vc chora, vc se revolta, se envolve, entra na vida dos personagens. A Natsuki-diva tem esse talento: conseguir envolver vc na história e fazer com que vc veja a sua própria vida nos personagens.

    Claro que estou lendo Hoshi e tenho adorado, apesar de muitas coisas ainda estarem escondidas. Há 2 semanas eu terminei de ler publicamente e fui chorar no banheiro porque né… 😡

    Adoro esta coluna, Mari!
    Beijos :*
    Manuela Moraes recently posted..manusinia- Lendo todos os posts da coluna Paixão por Mangás do blog da @marypaixao!

    [Responder]

  11. O primeiro mangá a gente nunca esquece, né? Até hoje guardo um carinho todo especial por Sakura Card Captors ^^
    Fruits Basket eu assisti ao anime e gostei bastante.
    Uma vez cortei meu cabelo igual ao do Yuki e Akito (que têm o cabelo parecido). Em homenagem à história! ^____^
    Se tiver orkut, é só ver (http://www.orkut.com.br/Main#AlbumZoom?gwt=1&uid=16438932596734494094&aid=1255468777&pid=1294693151808) =D
    Com certeza estará incluído nas minhas próximas aquisições (quem sabe agora em julho? =D).
    Vai ser um prazer ler a história desde o começo outra vez e saber o que acontece depois do sexto volume.
    E o que você disse é verdade: a Tohru é tão inocente que ou você a ama (nosso caso), ou odeia (como é o caso de um amigo meu, que não suportou terminar o anime por causa disso ¬¬’).
    Você foi em cheio quando disse “aquele romance que é construído aos poucos, com a convivência, com a ajuda mútua, com as pequenas coisas”.
    Apesar da parte fantasiosa da história, muitas situações têm um grande teor de realidade. A história tem uma delicadeza difícil de ser encontrada em muitos mangás.
    Acho que depois de assistir Fruits Basket mudei minha maneira de pensar, de ver as pessoas. Fruits Basket é uma lição de vida.

    Abraços!

    [Responder]

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge