Resenha: Ela é Fogo

Rafael é um cirurgião infantil que, um dia, salva uma mulher de um incêndio. Ele encontra Emmy sentada no parapeito da janela do apartamento dela, que está pegando fogo. E por mais estranho que possa parecer, ela parece não se importar, ela não pede pra ser salva, não implora pela vida. Rafael só consegue tirá-la de lá com a promessa de abrigar ela e o cachorro feio dela na casa dele, por alguns meses, até ela conseguir um lugar pra morar, já que ela perdeu tudo no incêndio. Mas Emmy se muda para o apartamento de Rafael e acaba mudando a vida dele inteira, já que ela vira a casa de cabeça pra baixo, traz mais e mais pessoas pra dentro do apartamento, consegue fazer com que todo mundo a ame, apesar de todas as suas loucuras, apesar de todos os motivos pra eles a odiarem. Porque ela é especial.

Esse livro foi uma completa surpresa: a capa é meio feia, apesar de combinar um pouco com o espírito do livro e as cores serem bonitas; a editora não inspira muita confiança, com suas revisões quase inexistentes; quando eu tentei ler pela primeira vez achei o começo extremamente estranho, me perdi várias vezes. Deixei pra lá. Peguei-o de novo ontem e quando entrei no ritmo do livro e a história foi se desenrolando, me surpreendi até as últimas páginas.

O livro é estranho porque a história é quase toda contada por meio de diálogos entre os personagens e porque quando o narrador aparece, existem partes que o narrador é em terceira pessoa e outras partes que o narrador é em primeira pessoa, na visão do Rafael. Os diálogos são mal-estruturados, não sei se por vontade da autora, pra ficar meio vago (?) de quem fala o quê, ou se por falta de edição da editora. Várias vezes me perdi, sem saber quem estava falando o que, e ficava pensando “porque essa pessoa falou isso?” e depois de voltar pro começo do parágrafo, percebia que era a outra pessoa que falava. Cansativo, às vezes. A revisão até que está boa, se comparado com outros livros da editora. Não que encontrar palavras como “descente” seja legal em um livro, mas os erros estavam em menor quantidade dessa vez.

Mas a surpresa veio com a história. A narração é estranha, mas acaba combinando com os personagens, principalmente com a Emmy, que é completamente estranha. Ela é muito impulsiva, muito louca, tem um carisma incrível e de repente você está lendo e se perguntando como ela consegue ser daquele jeito. Como ela consegue acreditar tanto, se impor tanto, contornar problemas com tanta facilidade. Eu não sabia o que esperar desse livro e acabei me surpreendendo bastante ao me deparar com uma história de amor muito linda, escondida pelos comentários sarcásticos, as situações incrivelmente hilárias, a confusão de ter mais de dez pessoas em um apartamento, dançando música irlandesa com kilts feitas de cobertores, enquanto o dono nem está em casa. O livro todo tem um tom cotidiano que eu gosto muito, apesar das situações serem totalmente sem noção e o jeito como as vidas se entrelaçam e os segredos são descobertos é bastante legal também. A leitura é rápida por causa dos diálogos e é um livro bem leve. No final tem uma pitada de drama, mas não chegou a realmente emocionar. O melhor mesmo é o humor cotidiano, sempre presente.

Livro: Ela é Fogo

Autora: Rebecca Dias

Lançamento:

Editora: All Print

Links: Skoob

Compre: Cultura | Saraiva

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

13 Comentários em Resenha: Ela é Fogo

  1. Ola!!
    Eu nunca ouvi falar deste livro ou desta editora, mas enfim pela sua resenha é um livro que vc ler para descontrair e ri um pouquinho. Gostei da resnha principalmente das críticas para a editora possa revisar esta edição e explicar se é assim mesmo o que a autora quis passar
    Bjos!!!!
    Danielly recently posted..Sorteio- O Coração de Salatiel

    [Responder]

  2. PARABENS PELA INICIATIVA DO BLOG E PELA IDÉIA!VI HÁ POUCO A REPORTAGEM DA TV CLUBE.. …E QUE ACERVO VC JÁ POSSUI, HEIM?!MUITO BOM. SIGA FIRME NO SEU PROPOSITO!ABS.

    [Responder]

  3. Para vc ver né? Na época em que eu lí o livro eu amei, na realidade até hoje adoro esse livro sério mesmo. Não acho os diálogos em suma muito confusos não. Acho que as vezes a história em si, se perde. Mas, gostei de toda a narrativa-história- sushsu;
    A capa é bemmmmmmmmmmmm viva e cheia de cores, o problema acho que são os desenhos que são muito grotescos sei lá. Mas, em suma dei duas estrelinhas.

    Bjokas
    Ótimo post.

    [Responder]

  4. A narração estranha e a estória confusa não me animaram a ler esse livro, do qual eu nunca tinha ouvido falar.
    A capa também não ajuda muito, o assunto do livro também não me agradou, então acho que dificilmente leria esse livro.

    [Responder]

  5. Fico imaginando se fosse crítica?kkkkkkkkk
    Seguindo, gosto de ler as resenhas para ter uma opinião do que as pessoas acham do livro, mas na realidade, só quando o leio é que sei o que vou achar ou não. Não desito de ler um livro por causa de uma resenha. Tudo bem, vai! Sou maluquinha mesmo, mas fazer o que?
    cheirinhos
    Rudy
    ps: tem selinho para você lá no blog.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

    [Responder]

  6. Ainda estou dividida se quero ler ou não. A falta de revisão que você mencionou me desanima, já que buscamos nos livros uma forma mais correta de escrever… Por outro lado, o enredo parece bom. Vou pensar com cuidado… Quem sabe eu leio?

    [Responder]

  7. Nunca tinha ouvido falar dessa editora o-o e agora que eu li a sua resenha não fiquei muito feliz por conhecê-la nessas condições :S
    Que pena que ela pecou na revisão e tudo mais, isso realmente atrapalha muito a leitura :/

    beijos beijos :**

    [Responder]

  8. É a capa é feia mesmo hehe.
    Nossa, parece bem mal escrito e mal revisado mesmo esse livro viu. AI tenho muito de estar lendo um livro e ter que voltar atrás pq não entendi, isso é mto chato.
    Acho que só leria por falta de opção mesmo.

    =)

    [Responder]

  9. Vou confessar uma coisa: se visse esse livro na livraria, iria revirar os olhos para a capa e passar reto. É, eu sei, mas vamos ser francos: essa capa É meio estranha mas, como você disse que a Emmy também é assim, talvez a capa combine mais com a história do que se imagina.
    Mesmo assim, o que me faz ter um pé atrás é o fato da revisão/tradução dessa editora serem assim… “indescentes” (LOL, estou brincando, eu sei como se escreve) e isso já me fez, em vários livros, perder a vontade de querer saber mais. Uma pena, aposto, pois se fosse traduzido um pouco melhor, talvez mais pessoas quisessem ler!
    Bjos,
    Isa Pina ~ Portal dos Livros

    [Responder]

  10. Eu tenho vontade de ler esse livro tem um tempo e, depois de ver “descente” e esses erros que nos deixa confusas, fiquei um pouco desanimada.
    Mas foi chegar na parte que você diz ser um humor bem cotidiano que me fez voltar a ter aquela vontade enorme de ler! Eu amo histórias assim, de cotidiano, de coisas que poderiam acontecer (por mais estranhas que sejam)..

    Adorei a resenha!
    Beeijo! ;3

    [Responder]

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


CommentLuv badge